• Jovem de 29 anos é morto à tiros no Valparaíso de goiás. A principal motivação do crime teria sido a sua orientação sexual.



Um jovem conhecido como Netinho Mirando de 29 anos, foi vítima de arma de fogo no Valparaíso de Goiás na manhã desse domingo (13) em frente ao supermercado Max Box. O que chama a atenção e que ele também era assumidamente homossexual, e de acordo com testemunhas a principal motivação do crime seria a sua opção sexual. Dois crimes nessa semana no estado de Goiás envolvendo dois outros homossexuais. O local bastante movimentado, porém como sempre acontece na região do entorno, a lei do silêncio prevalece, ninguém nunca sabe nem viu, ninguém sabe de nada.



Texto: Santa Zap zap
Imagem: Whatsapp
Matéria: Entorno Alerta

Compartilhe no Google Plus

entornoalerta

É de responsabilidade total das fontes o contéudo de toda e qualquer matéria anexada a este site. Matérias serão previamente identificadas aos créditos.
    Comentar no Blogger
    Comentar no Facebook

7 comentários :

Anônimo disse...

Ele era conhecido como NETO... mas alem da opção sexual dele ele também era usuário de Drogas... pode ter sido a motivação também motivação...

Anônimo disse...

Orientação sexual*, corrija caro jornalista.

Anônimo disse...

Certeza que era só 22 anos que ele tinha ou uns 10 anos a mais? :/

Anônimo disse...

Opção sexual ou sendo usuário de drogas, ninguém tem o direito de julgar e muito menos tirar a vida, só mente Deus!!
Infelizmente sempre vai ter esse tipo de pessoas, pra fazer o julgamento das outra!!
Ninguém respeita mais o ser humano infelizmente!!!!

Unknown disse...

Meu amigo sentirei sua falta . Ele podia ser o que era ou o que fosse , mais nunca entrava em brigas era sempre alegre e divertido. . Hoje levei um susto quando vi no jornal :'(

Fernando Berto Bezerra Júnior disse...

Mais uma morte motivada por esse ódio imbecil que caras midiáticos, como Bolsonaro e afins, disseminam por aí. Até quando isso vai continuar acontecendo? Cadê a tal evolução humana?

Ps: Matéria muito mal escrita. Não cabe ao jornalista fazer juízo de valor, só deve-se falar do factual.

Unknown disse...

Muito Triste Conheci A Vitima O mesmo Trabalhou Comigo Na Oi